Estimulada pela pandemia, indústria 4.0 acelera crescimento

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
indústria 4.0

Os últimos anos apresentaram dificuldades para diversos setores da indústria. Limitações de interações sociais e deslocamentos durante a pandemia foram as principais responsáveis pelos desafios enfrentados nas cadeias operacionais. E não estão sozinhas. Além dessas dificuldades, a instabilidade climática, crises políticas e até ataques cibernéticos de hackers contribuíram para verdadeiros colapsos em diversos setores industriais.  E qualquer problema nos processos operacionais, distribuição, armazenagem e entrega de uma indústria, pode significar um prejuízo equivalente a meses de produção normal.

Para driblar tais obstáculos, a indústria vem tentando reagir através de adaptações como: maior retenção de estoque, redução da complexidade de determinados produtos e a otimização do sistema de distribuição e transporte. E é exatamente neste momento que o boost da Indústria 4.0 entra em ação.

Trata-se de prioridades. Essas adaptações tem prazo, só que o prazo é “para ontem”. A pandemia continua firme e forte, e os impactos de um cenário de instabilidade no âmbito comercial, político e operacional ainda são sentidos diariamente pelas indústrias. A necessidade de decisões rápidas, estratégicas e principalmente baseadas em dados confiáveis é imensa.

Toda essa análise, distribuição e disponibilidade de dados em tempo real requer muita tecnologia. Mas não se trata só de tecnologia, é preciso inovação e comunicação, também. A qualidade da decisão está diretamente relacionada com a qualidade da informação. E para isso, é preciso integrar sistemas. Portanto, o foco da Indústria 4.0 é criar empresas inteligentes através de sistemas integrados, facilitando a execução de processos e coleta de dados, além de viabilizar uma melhora em toda a operação e qualidade de vida dos colaboradores.

Conheça mais sobre os serviços da Apexo

A indústria 4.0 e suas particularidades para cada segmento

Cada indústria de cada setor, de acordo com as suas particularidades, vai se adaptar da forma mais estrategicamente adequada para ela. Mas vamos ao modelo básico da Quarta Revolução Industrial. Os Sistemas Ciber-Físicos atuam no monitoramento dos processos físicos, criando uma simulação virtual da operação física para facilitar decisões descentralizadas. A Internet das Coisas possibilita a interação geral, tanto entre o sistema e os operadores, quanto entre os próprios sistemas ciber-físicos. Paralelamente, a Computação em Nuvem tem o papel de disponibilizar os serviços internos e intra-organizacionais para todos os envolvidos no processo.

As indústrias que mais desenvolveram e investiram em inovações digitais durante a pandemia já puderam enxergar resultados tangíveis, e evitaram grandes investimentos em soluções improvisadas. Os principais benefícios são:

  • Melhora na produtividade e agilidade
  • Redução de desperdícios
  • Redução de custos operacionais
  • Maior precisão no controle de estoques
  • Otimização logística
  • Eficiência energética

Tais benefícios são traduzidos em lucro, algo que foi fortemente comprometido durante a pandemia. O que deixa claro que, apesar das dificuldades enfrentadas pela indústria nessa época, a semente do futuro da automação foi plantada, e bem regada.

Saiba mais: Building back better: Accelerating Industry 4.0 digital transformation

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site