O que é Low Code e como impacta o mercado de TI

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A novidade que vem ganhando holofotes no cenário da tecnologia é o Low Code, que vem do termo LCPD em inglês (Low Code Development Platform). A plataforma vem criando polêmicas por não agradar a todos, mas sem dúvida, chegou para ficar. Vamos entendê-la melhor:

Conceito

A Plataforma de Desenvolvimento de Código Baixo cria um ambiente gráfico e intuitivo, que auxilia os programadores a criarem aplicativos e programas. Através da plataforma Low Code, os programadores utilizam pouca ou nenhuma programação manual. O desenvolvimento das aplicações se dá por interfaces gráficas e drag-and-drop (arrasta-e-solta), o que reduz bastante a necessidade de inclusão manual de códigos. Em poucas ações, é possível inserir centenas de linhas de códigos. O grande objetivo desta ferramenta é reduzir tempo e custo no processo de programação.

As plataformas Low Code apresentam diversas funções paralelas, simples e complexas, mas geralmente são compostas por:

  • IDE (Ambiente de Desenvolvimento Integrado, na sigla em inglês): Ambiente visual e intuitivo, usado para a criação das interfaces de softwares, modelos de dados e fluxos.
  • Conectores: Automatizam a manipulação, recuperação e armazenamento da estrutura de dados.
  • Módulo para Gerenciamento de Aplicativos: Ferramentas automatizadas que atuam na implantação, debugging, compilação e manutenção de software, de modo a administrar a vida útil do aplicativo ou programa criado.

Impactos Positivos

Velocidade e Produtividade

O benefício mais relevante da ferramenta Low Code é a agilidade de programação. O tempo e energia gastos na inclusão de incontáveis linhas de código são substituídos por uma inclusão fácil, rápida e que favorece testagens mais profundas. Dessa forma, o processo todo de programação se torna mais produtivo.

Alterações facilitadas

Em um processo de programação de sistemas, é normal que haja mudanças durante o percurso. E contando com uma digitação facilitada nem sempre manual, fica fácil incluir e retirar mudanças, sem impactar o processo e principalmente o prazo.

Impactos Negativos

Baixa customização

Nem tudo são flores. Para criar uma plataforma simples e intuitiva, que reduz imensamente o tempo de programação, há uma perda em algumas funcionalidades. Isso compromete a customização do Low Code. Dependendo da plataforma escolhida ou do software a ser desenvolvido, é possível que ela não atenda a todos os requisitos necessários. Isso certamente dificultaria mais do que ajudaria a equipe de programadores.

Baixa exigência do programador

Diante da facilidade de programação que o Código Baixo oferece, a dependência de programadores com alto nível técnico diminui, e isso atrapalha bastante os candidatos mais qualificados, que se veem perdendo vantagem no mercado. O contraponto aqui é que, provavelmente, o Low Code ainda vai evoluir muito e exigir bem mais dos seus operadores. Certamente a demanda de nível técnico vai aumentar.

Visão geral

É possível listar outros benefícios como: aplicabilidade a iniciantes, predileção pelo cliente e futuro garantido. Assim como outros pontos ruins: integração limitada, menor segurança e problemas de escala. Isso é normal, as inovações sempre passam por um período de maturação no mercado, muito ainda vai mudar e melhorar. O Low Code ainda não está na sua melhor versão, muito menos na “versão final” – conceito que nem existe na tecnologia – mas apresenta potencial de sobra para revolucionar o mundo, de quem revoluciona o mundo.

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site