CFTV: Por que você deveria trocar suas câmeras analógicas por digitais?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Antes de responder esta pergunta, você precisa saber qual o resultado que deseja ter com o uso das câmeras.

Saber o que quer ou, melhor, o que precisa é fundamental para ter uma resposta que deixe você satisfeito com o seu sistema de CFTV.

Uma desvantagem das câmeras digitais é o preço, pois são mais caras em relação às câmeras analógicas.

Para ter certeza se as suas expectativas estão sendo atendidas, analise qual o objetivo do seu sistema de monitoramento:

  • Acompanhar uma área interna ou uma área externa?
  • Ter informações e pode identificar as pessoas que acessam esta área?
  • Saber como está o fluxo de movimento?
  • Gravar imagens com alto grau de definição?
  • Precisa ter mapa de calor ou ser possível a detecção facial?
  • Requer controle remoto, com ajuste de foco ou zoom?

Se a resposta for “não” a todas estas questões, então não há dúvida: você não precisa trocar suas câmeras analógicas por câmeras digitais.

Mas basta apenas um “sim” para que você considere a troca.

Neste caso, em primeiro lugar você precisa ter ideia do investimento que precisa ser feito, pois há muitas opções de produtos com funcionalidades tecnológicas diversas e preços variados.

Sabendo o valor a ser investido, o passo seguinte é conhecer as principais características das câmeras digitais:

  • Facilidade na instalação: utilizam menor quantidade de cabos, inclusive possibilitando o uso da tecnologia PoE (Power over Ethernet), que usa o cabo de rede para alimentação elétrica.
  • Expansão flexível: o aumento do número de câmeras é possível dentro da estrutura existente e conjuntos de câmeras podem ser interligados facilmente.
  • Definição de imagens: maior qualidade e nitidez, independente da distância das câmeras até a central de monitoramento e da área a ser observada, sem que haja interferência ou ruído.
  • Inteligência tecnológica: possibilidade de detectar movimento (ao gravar somente imagens dinâmicas, ocupa menor espaço de armazenamento), usar sensor de proximidade (para medir distância entre pessoas e destas até máquinas ou equipamentos), medir temperatura (mapa de calor) e fazer reconhecimento facial, por exemplo.
  • Ajuste de foco: controle que pode ser feito remotamente, tornando possível obter detalhes de uma imagem de uma porta de acesso ou de um local onde há necessidade de um nível de atenção específico.

Importante lembrar que o mesmo sistema pode ter tipos de câmeras digitais diferentes, de acordo com cada aplicação, e que as câmeras analógicas podem estar no mesmo sistema que as digitais, porém devem ser consideradas as condições físicas e os requisitos da instalação e as limitações técnicas decorrentes desta decisão.

Após analisar todas estas opções e decidir quais serão adequadas para o seu sistema de CFTV, o próximo passo é escolher os tipos de câmeras digitais que podem ser utilizadas.

Não esqueça que a escolha do tipo de câmera é consequência do projeto do seu sistema de CFTV, que leva em conta os requisitos operacionais, as facilidades de manutenção, o investimento a ser realizado e a tecnologia que melhor responde ao objetivo desejado.

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site