A diferença entre os cabos Cat5 e Cat6

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Os cabos de categoria 5 (cat5) e categoria 6 (cat6) têm diferenças baseadas nas características:

  • Largura de banda – capacidade de transmissão de dados da rede, medida em bits por segundo (b/s). Quanto mais alta for esta largura, maior será a velocidade da conexão, ou seja, maior será o tráfego de dados na rede, num mesmo intervalo de tempo.
  • Frequência de utilização – frequência em que o cabo pode operar, expressa em MHz.
  • Crosstalk  (diafonia, em inglês) – indica o quanto um cabo é afetado por interferências eletromagnéticas.

Além destas características existem diferenças na estrutura física destes cabos, embora ambos sejam constituídos de pares de cabos trançados (TP – twisted pair, em inglês), com revestimento de matéria plástica. Enquanto o cat5 é fisicamente formado por quatro pares de cabos trançados, o cat6 tem o mesmo número de pares, mas com uma isolação de material plástico entre eles, para diminuir a interferência entre os pares durante a operação (diminuir o crosstalk), conforme pode ser observado na figura a seguir.

Na figura também pode ser notada outra diferença de construção: no cat6 os pares de cabos têm os pares mais trançados, mais apertados, em relação ao cat5.

No cat6, o isolamento plástico e uma “amarração” mais forte entre os pares de cabos internos são necessários devido à sua frequência de utilização, de até 250 MHz, ao passo que o cat5 trabalha com frequências de até 100 MHz.

Por causa da suscetibilidade do cat5 a ruídos, foi desenvolvido o cabo cat5e (enhanced, “aumentado”, em inglês), que apresenta cabos internos trançados mais firmemente, o que permite que sua largura de banda alcance a taxa de 1Gb/s, dependendo da distância entre os pontos de conexão de rede (de acordo com as normas técnicas aplicáveis, esta distância não pode ser maior do que 100 metros). Esta diferença levou o cat5 praticamente ao desuso.

O cat6 apresenta uma largura de banda ainda maior que o cat5e, podendo chegar a 10 Gb/s, também de acordo com a distância dos pontos de conexão. Esta taxa é resultado de uma trança mais firme dos cabos internos, em comparação com o cat5, e da existência do isolante plástico entre os pares de cabos, embora causando uma redução da maleabilidade e o aumento da espessura e do preço do cabo. Para tornar possível uma frequência de operação de até 500 MHz e alcançar aplicações que não necessitem do uso de fibras óticas foi criado o cabo cat6a, de cabos internos trançados mais firmemente e mais robusto externa e internamente, no tocante ao elemento de plástico de separação dos cabos internos, conforme pode ser observado na figura abaixo.

Os cabos cat5 e cat6 podem ser encontrados nas versões UTP (Unshielded Twisted Pair – cabo de par trançado não blindado, em inglês) e STP (Shielded Twisted Pair – cabo de par trançado blindado, em inglês). O uso da blindagem reduz o crosstalk, sendo mais indicada para instalação em locais que possuem equipamentos que possam gerar interferência eletromagnética nos cabos de rede.

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site