O que é a tecnologia GPON?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

As primeiras redes de comunicação usavam cabos de cobre para a transmissão de sinais, servindo de estrutura para os serviços básicos de telefonia, com destaque para voz e telegramas.

A Internet representa uma evolução que vem desde a década de 1990 e continua tendo uma demanda crescente na busca por um tráfego de dados que tenha velocidade e confiabilidade.

A cada ano mais serviços como streaming, videoconferência, trabalho remoto, telemedicina, Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial  (IA), por exemplo, geram grandes volumes de dados e requerem largura de banda compatível.

A pandemia da Covid-19 causou um aumento vertiginoso no tráfego de dados, além de demonstrar a necessidade de conexões confiáveis nas residências e unidades volantes de vários segmentos.

Para fornecer internet de alta velocidade, as operadoras têm várias opções de escolha entre as tecnologias existentes.

A mais avançada é baseada em cabos de fibra óptica para fornecer serviços de transmissão de fibra para casa (FTTH  –  Fiber To The Home)  e fibra para prédio (FTTB – Fiber To The Build).

A sua variante mais comum é a GPON – Gigabit Passive Optical Network.

Uma tecnologia diferente

A diferença da GPON em relação a outras tecnologias é sua característica de se assimétrica, o que representa taxas diferentes para downstream (sentido da operadora/provedor para o local onde está o cliente) e upstream (sentido de onde está o cliente para a operadora/provedor) – 2,5 Gbps e 1,25  Gbps, respectivamente.

Do ponto de vista do usuário, esta diferença entre as taxas de transmissão é vantajosa, visto que a grande maioria das informações segue o fluxo em direção a ele e não ao contrário.

Assim, essa assimetria garante bom atendimento à demanda e evita gargalos no tráfego da rede.

Método de transmissão

O principal transmissor óptico, chamado de OLT (Optical Line Terminal), fica instalado na unidade de transmissão da operadora/provedor.

No OLT, sinais são enviados pelos cabos de fibra óptica a cada divisor óptico passivo (splitter) existente na estrutura da rede, que distribui os sinais para até 64 clientes.

No lado, ficam os terminais dos usuários, chamados de ONU (Optical Network Unit), que realizam a conversão do sinal óptico em sinal elétrico com dados de áudio e vídeo, principalmente.

Características

  • Distância entre a operadora/provedor até os terminais dos clientes máximo é de 20 km, embora seja considerado um valor de 16 km nas especificações dos projetos, visando a transmissão de um sinal de melhor qualidade.
  • A transmissão de OLTs para ONUs são realizadas por intermédio de broadcast, de acordo com padrão Ethernet.
  • Cada splitter pode atender até 128 usuários.
  • Admite proteção contra ataques cibernéticos (Storm).

Principais indicações

Nos casos de transmissão diferenciada de pacotes de dados, seja para uma aplicação dedicada para o consumidor comum, seja para atender ao segmento empresarial, que recebam, além de seu tráfego corporativo, também serviços complementares como TV, telefone e internet. Redes com elevado número de usuários, com potencial de aumento na demanda de serviços ao longo do tempo, representam outra aplicação típica da tecnologia GPON.

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site