Cabeamento horizontal e vertical. Diferenças e quando usar.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Esses cabeamentos se complementam, embora sejam para aplicações diferentes, pois são de fundamental importância para que o sistema de cabeamento estruturado apresente um ótimo grau de desempenho.

Cabeamento estruturado deve seguir normas técnicas nacionais e internacionais vigentes da Electronic Industries Alliance (EIA) e da Telecommunications Industry Association (TIA), por exemplo, como a norma TIA/EIA-568-C.1, que se refere ao Cabeamento de Telecomunicações para Edifícios Comerciais.

Orientações, limites e requisitos mínimos aceitáveis, como distâncias, frequências e sobre segmentos, constantes dessa e de outras normas que podem ser aplicadas ao cabeamento estruturado são fundamentais para que seja possível executar o processo de certificação da rede.

Na norma TIA/EIA-568-C.1 estão previstas, dentre outras, as definições para os cabeamentos utilizados nos ambientes da instalação física da rede.

Esses cabeamentos se complementam, embora sejam para aplicações diferentes, pois são de fundamental importância para que o sistema de cabeamento estruturado apresente um ótimo grau de desempenho.

As diferenças entre eles são relativas à aplicação de cada cabeamento e os respectivos componentes.

Quando usar

O cabeamento horizontal é o conjunto de cabos que conectam os pontos de rede dos usuários e o rack do pavimento ou andar.

A topologia de rede geralmente utilizada é a do tipo estrela, quando um ponto central distribui o tráfego de rede para os demais equipamentos/dispositivos do segmento de rede.

O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone é o conjunto de cabos que interligam distribuidores (racks) dos pavimentos ou segmentos da rede.

A topologia utilizada normalmente é do tipo híbrida ou árvore, por exemplo, de acordo com as características da instalação física da rede.

Componentes e características

No rack do destinado ao cabeamento horizontal, em uma instalação típica, estão presentes:

  • Os patch panels e os respectivos patch cables, formados por cabos de par trançado.
  • Canaletas ou eletrodutos, de acordo com o ambiente de instalação e tipo de cabo a ser utilizado.
  • Os cabos que ligam o rack até as tomadas de rede dos usuários, em grande parte, cabos de par trançado, podendo utilizar cabos de fibra óptica em caso de aplicações especiais.
  • Importante considerar o cabeamento horizontal necessário para prever a instalação de dois pontos de rede para cada usuário.

Alguns cuidados devem ser tomados no que se refere à distância do cabeamento:

  • Entre o rack e o ponto de rede o comprimento do cabo não pode exceder 90 metros.
  • Comprimento máximo de 5 metros para a interligação relativa ao patch panel.
  • Prever um comprimento máximo de 5 metros (3 metros é o comprimento recomendado) para os equipamentos ou dispositivos a serem conectados aos pontos de rede.
  • Nenhum cabo de par trançado pode conter emenda.

Já no caso do cabeamento vertical, os componentes são:

  • Eletrocalhas, que são utilizadas para encaminhamento dos cabos que ligam os racks de cada segmento da rede (cada pavimento ou andar, por exemplo), às salas de equipamentos e/ou às instalações de entrada, de acordo com o que foi especificado no projeto da rede.
  • Blocos de conexão, conectores de cruzamento e terminadores, de acordo com a ligação necessária.
  • Cabos, que podem ser de fibra óptica (na maioria das aplicações), multímodo ou monomodo, de par trançado blindado ou não, de acordo com as condições da instalação especificadas pelo projeto.
  • A definição do tipo de cabo leva em consideração os serviços a serem suportados, as dimensões do local e a quantidade de usuários.
  • As emendas devem ser utilizadas somente conforme o projeto, com os equipamentos de conectividade previstos nas respectivas normas.

Alguns cuidados também devem ser tomados no cabeamento vertical:

  • Comprimento de cabos de fibra óptica não podem exceder 2000 metros, para o tipo multímodo, e 3000 metros, para o tipo monomodo.
  • Nenhum cabo de par trançado utilizado pode conter emenda.

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site