A importância das práticas de ESG dentro da cadeia de fornecedores

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

SG é uma sigla em inglês que significa Environmental, Social and Governance e, traduzida para o português, quer dizer Ambiental, Social e Governança. Ela se refere a um conjunto de ações que podem tanto direcionar empresas no estabelecimento de políticas para gerar um impacto social e ambiental mais positivo.

ESG é uma sigla em inglês que significa Environmental, Social and Governance e, traduzida para o português, quer dizer Ambiental, Social e Governança.

Na prática, ela se refere a um conjunto de ações que podem tanto direcionar empresas no estabelecimento de políticas para gerar um impacto social e ambiental mais positivo, como também para medir, por parte dos agentes externos, seu engajamento nesses setores, servindo inclusive como critério para a realização de investimentos.

Embora seja uma tendência que vem se desenhando há bastante tempo, a sigla ESG surgiu, de fato, no ano de 2005, com a publicação do relatório da ONU denominado “Who care wins” (quem se importa ganha), realizada em parceria com o Banco Mundial e com instituições financeiras de 9 países. O objetivo principal era encontrar maneiras de integrar os três fatores (ambiental, social e governança) ao mercado financeiro, de forma que este se tornasse mais sustentável e gerasse um impacto mais positivo na sociedade.

Vamos ver o que significa cada um desses fatores?

Ambiental

Indica o nível de envolvimento das organizações em relação às questões ambientais e, sobretudo, quais ações são implementadas na prática para reduzir o seu impacto no meio ambiente. São levadas em consideração ações relacionadas a:

  • mudanças climáticas, onde a emissão de carbono vem ganhando cada vez mais destaque;
  • esgotamento dos recursos naturais, com a adoção de práticas como consumo consciente e reutilização;
  • poluição do meio ambiente, através da gestão de resíduos, reciclagem e controle da emissão de gases;
  • investimento em ações de responsabilidade social nas comunidades onde estão inseridas.

Social

Indica quais práticas as organizações utilizam para, a partir do seu ecossistema, contribuir para um mundo e uma sociedade mais justa. Temas como diversidade, inclusão, leis trabalhistas e direitos humanos são os de mais relevância hoje em dia. Mas outros temas como segurança no trabalho, proteção de dados e privacidade e o relacionamento com as comunidades também são importantes e não podem ser esquecidos.

Governança

Refere-se à maneira como as organizações são dirigidas ou controladas, e envolvem questões como a composição dos conselhos e a sua representatividade, as políticas de remuneração da alta administração, a transparência (um dos princípios da governança corporativa), a estrutura dos comitês de auditoria, entre outros.

Com as práticas de ESG ganhando cada vez mais força, é normal que uma outra discussão ocorra em paralelo: qual a sua importância dentro da Cadeia de Suprimentos? Qual o sentido em uma corporação estabelecer diretrizes para aumentar a sua sustentabilidade e, em contrapartida, contratar fornecedores que não utilizam tais práticas?

A melhor maneira de ilustrar a importância de implantar ESG na Cadeia de Suprimentos é falar dos impactos positivos que isso trará para a organização como um todo.

Desenvolvimento e/ou melhora da reputação da empresa

Os consumidores estão cada vez mais conscientes do seu papel no momento de comprar um produto ou serviço, optando por empresas mais sustentáveis e que demonstram responsabilidade social.  Práticas de ESG favorecem ainda a atração e retenção de talentos: pesquisas demonstram que os profissionais também passaram a avaliar o quesito sustentabilidade ao optarem por uma determinada vaga. Sem mencionar os investidores e agentes governamentais. Contratar um fornecedor que não respeita as leis trabalhistas ou não se preocupa com questões ambientais, por exemplo, pode afetar negativamente a reputação de uma organização.

Impacto na área financeira

A reputação das empresas que adotam as práticas de ESG, por si só, já tem um impacto financeiro positivo nas organizações e podem, além de melhorar a sua lucratividade, fazer até mesmo com que o seu valor de mercado aumente. Mas não podemos deixar de citar os investidores que, cada vez mais, optam por se associarem a empresas que demonstram a preocupação com o impacto ambiental e social das suas operações e o compromisso com a construção de um mundo mais sustentável.

Redução dos riscos operacionais

Organizações que possuem, em sua cadeia de suprimentos, fornecedores que não se adequam aos pilares de ESG estão muito mais propensas a enfrentar problemas que afetam as suas operações, como o não cumprimento de um contrato ou o atraso na entrega de uma mercadoria. Optar pela contratação de fornecedores que prezam pelas boas práticas certamente ajuda muito a reduzir tais riscos.

Tornar-se uma empresa sustentável deixou de ser, há muito tempo, apenas uma vantagem competitiva. É uma questão de sobrevivência. E as práticas de ESG podem ser uma excelente forma de nortear sua empresa no estabelecimento de diretrizes para alcançar uma maior responsabilidade ambiental e social.

NEWSLETTER APEXO EDU

Cadastre-se agora e recebe as últimas novidades sobre o mercado de tecnologia e Infraestrutura 

Descubra como as principais marcas já estão aplicando o 5G nas indústrias.

Nós usamos cookies para garantar a melhor experiência em nosso site